Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Público, 20100224

 

A Universidade de Lisboa (UL) deve apostar mais na formação e promover as competências pedagógicas dos seus professores, recomenda a European University Association (EUA), responsável pela avaliação externa desta e de outras instituições portuguesas de ensino superior.

O relatório, disponível na página de Internet da UL, elogia a instituição e a sua liderança, afirmando que a mesma tem boa reputação no país e no estrangeiro e "grandes possibilidades". Apesar de ser necessário esperar pelos resultados das mudanças que foram empreendidas pela equipa do reitor António Nóvoa, a agência de avaliação europeia acredita que a UL vai "na direcção certa".

Além dos relatórios de auto-avaliação, a equipa da EUA fez uma visita à instituição e esteve nas faculdades de Belas-Artes, Ciências e Medicina e no Instituto de Ciências Sociais. O relatório aponta algumas recomendações que a instituição poderá acatar, como a formação dos professores e o reforço do papel dos conselhos pedagógicos e dos estudantes nestes órgãos.

A UL ainda tem dificuldade em reconhecer os estudos feitos noutras uni- versidades estrangeiras, aponta o relatório, que recomenda ainda que a instituição se abra mais à sociedade civil, nomeadamente criando cursos de formação ao longo da vida, para adultos. É ainda necessário criar um gabinete de apoio ao emprego para recém-licenciados, diz o relatório.

Numa carta aos professores e alunos, o reitor António Nóvoa congratula-se com a avaliação e defende que "é urgente reflectir sobre estas propostas". Para já, a UL vai criar duas estruturas, já previstas nos seus estatutos, que têm como objectivo promover iniciativas conjuntas entre as várias faculdades e institutos: o Instituto de Investigação Interdisciplinar e o Centro de Recursos Comuns e Serviços Partilhados. O reitor quer ainda criar um Conselho de Garantia da Qualidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)