Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




AgroPortal, 201002012

Um relatório elaborado pela Comissão Europeia publicado ontem revela que a taxa de nitratos nas águas da UE diminuíram. O relatório indica que a aplicação da legislação para evitar a poluição das águas subterrâneas e superficiais por nitratos de origem agrícola deu bons resultados. No entanto, em algumas áreas, as concentrações em nitratos excedem os padrões de qualidade das águas da UE, e é necessário que os agricultores continuem a adoptar práticas mais sustentáveis.

Janez Potocnik, Comissário para o Meio Ambiente, afirmou: "Manter a qualidade da água é uma prioridade para a política ambiental europeia. Os agricultores fizeram esforços consideráveis para melhorar a gestão da fertilização, que hoje produz bons resultados e promove uma melhor evolução da qualidade da água. No entanto, em algumas áreas, os padrões de qualidade da água na UE continuam a ser um desafio complexo e permanente. "

Evolução animadora da qualidade da água, mas persistem problemas importantes

A utilização agrícola dos nitratos nos adubos orgânicos e químicos tem sido uma importante fonte de poluição na Europa. Apesar dos nitratos serem um nutriente essencial para promover o crescimento das plantas e das culturas, as fortes concentrações são prejudiciais para os seres humanos e para a natureza.

O relatório ontem publicado sobre a aplicação da directiva relativa aos nitratos, que visa controlar a poluição e melhorar a qualidade da água, reflecte uma tendência de estabilização ou diminuição das concentrações de nitratos na UE. Entre 2004 e 2007, as concentrações de nitratos nas águas superficiais (incluindo rios, lagos e canais) manteve-se estável ou diminuiu em 70% dos pontos de monitorização. Em 66% dos sítios de monitorização da qualidade das águas subterrâneas (abaixo da superfície do solo) é estável ou está em vias de melhorar.

Apesar destas tendências encorajadoras, o relatório cita, no entanto, um número de áreas onde os níveis de nitratos são preocupantes. Altas concentrações foram registadas nas águas subterrâneas na Estónia, no sudeste da Holanda, Bélgica (Flandres), no Reino Unido (Inglaterra), em várias regiões da França, norte da Itália, nordeste de Espanha, sudeste da Eslováquia, sul da Roménia, Malta e Chipre. As concentrações são particularmente elevadas nas águas superficiais em Malta, no Reino Unido (Inglaterra), na Bélgica (Flandres) e na França (Bretanha).

Segundo o relatório, cerca de 15% das estações de monitorização das águas subterrâneas e 3% das estações de monitorização das águas de superfície apresentaram níveis de nitratos bem acima do padrão de qualidade da água fixado em 50 mg / l .

Trabalhos em curso

Uma boa vigilância é essencial e exige o estabelecimento de redes de grande qualidade, para monitorar a qualidade das águas subterrâneas, águas superficiais e marinhas. Existem actualmente 31 000 pontos de amostragem de águas subterrâneas na UE e 27 000 estações de monitorização das águas de superfície.

Mais de 300 diferentes programas de acção estão sendo implementados na UE e melhora a sua qualidade. As medidas incluem períodos de proibição da fertilização, um mínimo de armazenagem de estrume e de regras que limitem a aplicação de fertilizantes perto de água ou em encostas para reduzir o risco de poluição. Estas medidas são também muito benéficas para a qualidade do ar e ajudam a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, como o óxido nitroso e o metano, dois dos principais gases responsáveis pela mudança climática.

Os Estados-Membros designaram áreas particularmente vulneráveis à poluição por nitratos, às quais se aplicam programas de acção específicos. Alguns Estados-Membros (Áustria, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda e Eslovénia), decidiram implementar programas de acção em todo o seu território para garantir o mesmo nível de protecção a nível nacional.

Apesar de uma acentuada melhoria na gestão dos fertilizantes e das práticas agrícolas, através de campanhas de informação e formação dos agricultores, são necessários esforços para atingir os objectivos de qualidade da água em toda a UE. Muitos Estados-Membros devem intensificar os seus esforços em algumas regiões, particularmente no acompanhamento e localização de áreas particularmente vulneráveis à poluição e no que respeita ao desenvolvimento de programas de acção reforçada.

Novas oportunidades para a gestão da poluição oferecida pela mais recente tecnologia

O relatório mostra um crescente interesse por parte dos agricultores para os métodos de alimentação inovadores, que reduzem a excreção de fertilizantes, e de novas tecnologias, como o tratamento dos efluentes pecuários. Essas tecnologias vão desde a simples separação de sólidos e líquidos, com técnicas mais avançadas para o tratamento de chorume em água limpa e adubo orgânico de alta qualidade. Eles são frequentemente associados com técnicas de recuperação de energia. Grupos de agricultores têm investido em projectos cooperativos, incluindo Bélgica, Holanda e Espanha.

Relatórios

Um relatório sobre a aplicação da directiva é elaborado a cada quatro anos, com base em informações fornecidas pelas autoridades nacionais. Em 2008-2009, 27 Estados-Membros apresentaram relatórios oficiais para o período 2004-2007.

Autoria e outros dados (tags, etc)