Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Milhares de agricultores e viticultores manifestaram-se hoje em Madrid contra a crise profunda que o sector atravessa, ameaçado de "ruína", segundo afirmaram, e exigem ajudas governamentais.

De acordo com os organizadores do movimento, 500 mil pessoas marcaram presença em Madrid para exigir ao Governo socialista de Zapatero medidas urgentes de apoio.

"O campo vai à ruína mobiliza-te" foi a palavra de ordem dos manifestantes que paralisaram o centro da capital espanhola, denunciando os preços excessivamente baixos dos seus produtos e exigindo uma actuação rápida do Governo de ajuda ao sector.

"É necessário manter os preços. Produzir um quilo de azeitonas custa-me três vezes mais que o preço de venda", disse Antonio Sanchez, olivicultor na Extremadura (Sudoeste Espanha).

As três organizações que marcaram esta manifestação, a ASAJA, COAG e UPA, denunciam a falta de "rentabilidade" do sector e afirmam que os ganhos agrícolas baixaram 26 por cento em Espanha entre 2003 e 2008, enquanto 140.000 empregos foram perdidos.

Paralelamente, os custos da produção aumentaram 34 por cento, segundo os organizadores que denunciaram as práticas "oligopolisticas" da cadeia de distribuição alimentar e os elevados preços junto dos consumidores.

"A couve-flor que vendemos a 30 cêntimos é vendida a 1,5 euros nos supermercados, é necessário partilhar, é uma injustiça", disse Fernando Ambros Carpi, responsável de uma cooperativa de produtos frescos em Arco de La Frontera (Sul de Espanha).

In: Agro-Portal, 21 de Novembro de 2008

Autoria e outros dados (tags, etc)