Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Inovação: Portugal apresenta 3 projectos no âmbito da EUREKA

Portugal apresenta esta semana para aprovação no âmbito da EUREKA três projectos nas áreas da água e da agricultura e propõe, como caso de sucesso, um outro relacionado com a produção de arroz.

Diário Digital 27 de Janeiro de 2009

«Temos três projectos que vão ser incluídos no lote dos que estão para aprovação, um na área da água e dois na agricultura que também é uma área que tem tido grande apetência por parte das instituições portuguesas«, disse o presidente dos Representantes de Alto Nível da Presidência Portuguesa da EUREKA, que decorre até Junho deste ano.

Manuel Nunes da Ponte falava à agência Lusa à margem da segunda reunião da Presidência Portuguesa da EUREKA que decorre esta semana, em Sines, organizada pela Agência da Inovação (ADI) e com o apoio da Câmara Municipal de Sines.

Um dos projectos que Portugal propõe agora à EUREKA está relacionado com a alimentação de suínos, de forma a maximizar as suas qualidades, num investimento de 2,44 milhões de euros e será desenvolvido conjuntamente com Espanha, cuja contribuição será de 65 por cento, a que se junta a portuguesa de 35 por cento.

Caso sejam aprovados, os dois outros projectos vão incluir Portugal em duas redes diferentes.

Uma das redes visa a aprovação de um cluster da água, com vários parceiros, incluindo a União Europeia e países como a Israel e a Turquia, representando um investimento de mais de mil milhões de euros.

A segunda rede insere-se no sector agro-alimentar e tem como objectivo aumentar a sua competitividade através do desenvolvimento de produtos e processos inovadores assim como de novas tecnologias, envolvendo 14 países.

Em declarações à agência Lusa, o responsável nacional pela área do Euroagri da EUREKA, João Santos Silva, sublinhou a importância de um projecto na área da gestão integrada do controlo de pragas na produção de arroz para consumo, sem recorrer a químicos.

João Santos Silva adiantou que este projecto, implementado há alguns anos, vai ser proposto como um caso de sucesso. Portugal teve uma contribuição de 45 por cento neste projecto, acrescentou.

«Este projecto fez com que se passasse de algum cepticismo relativamente a Portugal nesta área para uma imagem de referência mundial em arroz armazenado. Permitiu uma produção de arroz de melhor qualidade, a preços mais baixos, mas sobretudo a transferência de tecnologia e conhecimento«, defendeu o responsável.

João Santos Silva destacou o caso dos EUA que começaram por ser observadores do projecto, mas rapidamente optaram por participar, recorrendo aos conhecimentos e tecnologias portuguesas.

O projecto teve como participantes portugueses o Instituto de Investigação Científica Tropical, a Saludães Produtos Alimentares, a Sociedade Europeia de Arroz (SEAR) e a Aparroz Agrupamento de Produtores do Vale do Sado.

Manuel Nunes da Ponte sublinhou ainda a criação no âmbito da Presidência Portuguesa da EUREKA de um novo programa -Eurostars- que é um projecto de financiamento conjunto com a União Europeia.

«Tal como a EUREKA, há uma estratégia de bottom-up em que são as empresas que decidem as áreas que querem desenvolver. Neste caso, os projectos, quando são aprovados, e para além do financiamenro dado pelos governos dos vários países, contam ainda com uma percentagem de financiamento da Comissão Europeia«, explicou o responsável. O Eurostars é dirigido sobretudo às PME com qualificações para fazer investigação.

«Na primeira chamada aprovamos 60 projectos, sete dos quais portugueses, na segunda chamada, que está em avaliação, temos 18 projectos com participação portuguesa«, acrescentou.

Cerca de 150 representantes de 38 países europeus participam hoje, em Sines, na segunda reunião de trabalho no âmbito da presidência portuguesa da Iniciativa EUREKA, tendo em vista novas formas de cooperação entre empresas, instituições de investigação e desenvolvimento e universidades.

Autoria e outros dados (tags, etc)