Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Cartas ao director, Público, 090128

Não sei que qualificação académica possui o investigador Luís Fernandes. Eu cá, sou apenas licenciado pela Faculdade de Medicina da UP, assistente de Microbiologia da mesma Faculdade, aposentado. Não sei se percebi bem a ideia que desenvolve no PÚBLICO de ontem, 27/01.
Será que, pelo medo da submissão ao sistema científico anglo-americano, se propõe publicar os seus trabalhos de investigação em português, ou mirandês?!... Claro que ninguém o vai proibir. Mas, obviamente, também "ninguém" o vai ler... Dir-me-á que as avaliações dessas tais entidades internacionais estão, ou poderão estar enviesadas, sabe-se lá por que factores ou preconceitos... Mas, isso acontece com tudo! Porque será que um escritor só ganha o estatuto de "grande" quando consegue ver as suas obras traduzidas nos idiomas com mais falantes? Obviamente porque, desse modo, consegue maior divulgação. Porque consegue, assim, mais leitores. Ora, com a investigação o princípio é o mesmo; digamos que, em sentido inverso. O cientista, seja polaco, grego ou português, só consegue divulgar o seu trabalho se conseguir que os editores das revistas escritas no "idioma científico" mais universal, que é o inglês, quer queiramos quer não, o avaliar como relevante... É o que vai acontecer com esta minha Carta ao Director: só será publicada se, quem a ler, na redacção do jornal, achar que tem alguma pertinência...
Provavelmente na Alemanha, na Rússia, na China e na Índia, publicam-se grandes revistas científicas, eventualmente com grandes tiragens, mas... quem as lê, do chamado mundo ocidental?... Obviamente, só se se submeterem à tal ditadura da língua anglo-americana. Aliás, se alargarmos o horizonte desta reflexão, ninguém está impedido de continuar a comunicar por Morse... mas a Internet é muito mais eficaz!
Passos Gonçalves
Médico - Barcelos
 

Autoria e outros dados (tags, etc)